Atividade de encerramento “Afro Retratos”

Dia 18 de agosto, sábado, foi um dia ensolarado iluminado não só pelo astro rei, mas por todas as pessoas, ideias e estéticas visualizadas e discutidas como parte das atividades de encerramento da exposição “Afro Retratos”, de Renata Felinto.

Das 10h às 12h da manhã, crianças com idades entre 04 e 12 anos, moradoras da Ocupação São João, localizada na avenida de mesmo nome, visitaram a exposição e experimentaram os materiais disponibilizados pela equipe do projeto e, encontrados nas obras de Renata Felinto, tais como: lantejoulas, máscaras de estêncil, dentre outros.

Elas ficaram absolutamente maravilhadas com as várias possibilidades de recursos, para além dos conhecidos e manjados lápis de cor e giz de cera.

Na parte da tarde, recebemos a ilustre visita de meninas que cumprem medidas sócio-educativas da unidade da Fundação Casa de Taipas. Foi muito bom recebe-las e conversar sobre o tema da exposição: cidade, identidade e feminilidade.

Mais tarde, das 16h30 às 18h, ocorreu a mesa redonda “A presença da mulher negra e afrodescendente como protagonista da cena estética contemporânea”, sob a mediação do curador e cientista social Alexandre Araujo Bispo e tendo como convidadas a dançarina e antropóloga Luciane Ramos e a performer e atriz Michelle Mattiuzzi.

Ambas apresentaram parte de seus trabalhos e, em seguida, desenvolveu-se uma conversa sobre estes lugares ocupados por mulheres negras que são artistas: quando elas colocam as suas identidades nos trabalhos de arte? Por que colocam? É necessário? Qual seria a diferença entre se posicionar identitariamente ou não?

A poeta Tula Pilar participou ativamente das discussões juntamente com outros participantes.

Estamos muito contentes com este fechamento e, mais do que nunca, Cubo Preto compreende que não há arte se não há ação social e formação de público.

Agradecemos imensamente ao II Prêmio Nacional Expressões Culturais Afro-Brasileiras pela oportunidade!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Abertas inscrições para atividade de finalização da exposição “Afro Retratos”

Abertas inscrições para atividade de finalização da exposição “Afro Retratos”
18 de agosto, sábado, das 14h às 18h.
A exposição “Afro Retratos”, mais do que uma mostra que apresenta trabalhos interessantes visualmente, propõe a discussão sobre a experimentação de materiais; a idéia de identidade neste mundo globalizado e mutante e sobre o papel da mulher negra e artista como protagonista em sua produção e pesquisa. Ou seja, objetivamos um olhar educacional e de investigação com foco neste viés.
Deste modo, convidamos os interessados a se inscreverem nas atividades que serão oferecidas como fechamento deste projeto.
Das 14h às 15h30: workshop de criação com a artista Renata Felinto: cada participante terá contato com o processo de criação da artista e proporcionaremos um momento de vivência com experimentação de materiais empregados nos “Afro Retratos”. 15 vagas.
Das 14h às 15h30: mesa redonda e apresentação das artistas Michelle Matiuzzi e Luciane Ramos, que mostrarão parte de suas pesquisas artísticas e discutirão o papel da mulher negra e mestiça como protagonista na produção de arte contemporânea. Mediação do curador e cientista social Alexandre Araujo Bispo. 40 vagas.
Inscrições até 17 de agosto pelo email cubopreto@gmail.com

Texto de Leno Silva no boletim “Outras Impressões da Terça”

Outras Impressões da Terça

Manifestações livres sobre qualquer assunto
Ano III – número 122 – 7/8/2012
 Por Leno F. Silva

Conheci a Renata Felinto em 2004, no Museu Afro Brasil, onde ela integrava a equipe de monitores educacionais e, entre outras atividades, revelava para os visitantes o que havia de história e de informação em cada uma das obras de arte expostas.

Desde então a reencontrei em diversas situações e sempre notei as suas transformações. A jovem monitora é, hoje, uma artista plástica talentosa, e que sabe exatamente qual o tratamento e o espaço social que ela quer dar ao seu trabalho.

Por isso, não foi surpresa constatar a qualidade dos seus Afros Retratos, um conjunto de doze pinturas constituídas a partir da observação e da pesquisa de imagens de diversos grupos étnicos: do território de Angola, asiáticas, americanas, e europeias.

Segundo Alexandre Araujo Bispo, curador da exposição, “Renata Felinto atualiza por meio de uma espetacularização cromática a potência do rosto feminino de fenótipo afro, manipulando um imaginário social que tende a reduzir as culturas africanas e afro-brasileiras à alegria barroco-carnavalesca. Mas, para além da beleza plástica de suas atraentes figuras o que se investiga são as possibilidades de muitas mulheres em uma só”.

Vale muito a pena visitar a mostra e ver, de perto, o talento dessa mulher guerreira, que sabe muito bem quais caminhos quer percorrer, e os espaços que ela ocupará, cada vez mais, neste mundo. Axé! Por aqui, fico. Até a próxima.
Serviço:
Afro Retratos, de Renata Felinto, trabalho vencedor do 2º Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-Brasileira, categoria Artes Visuais, edição 2011
Tracker Tower
Rua Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo, esquina com a Av. São João, altura do nº 519, ao lado da Galeria Olido
Visitação até 18 de agosto de 2012, de segunda à sexta, das 14 às 20 horas e, os sábados, das 14 às 18 horas.

Abertura da exposição “Afro Retratos”

A abertura da exposição “Afro Retratos”, de Renata Felinto, no último dia 31 de julho na Tracker Tower, foi um sucesso.

Familiares, amigos e admiradores do trabalho estavam presentes para prestigiar esta conquista da artista e de sua equipe possibilitada pelo II Prêmio Nacional Expressões Culturais Afro-Brasileiras, da Fundação Cultural Palmares, CADON, MinC e Petrobras com produção da Cubo Preto.

Todos os trabalhos estão a venda, para aquisição entrar em contato com cubopreto@yahoo.com

Agracedemos todos os presentes! Acompanhe alguns momentos!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sobre o espaço da exposição: Trackers

O resultado do II Prêmio Nacional Expressões Culturais Afro-Brasileiras, foi divulgado bem depois do esperado. Deste modo, cancelamos a exposição no local que estava reservado para que o espaço não ficasse ocupado sem sabermos quando sairia o resultado.

Assim que fomos notificados da seleção do projeto “Afro Retratos” surgiu o grande desafio: onde realizar a exposição. Após algumas ligações, emails e visitas a espaços que não necessariamente eram de voltados às artes visuais, conseguimos fechar com a Trackers.

Localizada na região central de São Paulo, em frente à célebre Avenida São João, este espaço de ensino de arte e cultura recepcionou a exposição “Afro Retratos” após fazermos alguns acordos como uma pequena reforma no primeiro andar, onde está a exposição que ocupa quatro salas. As mesmas se transformaram em cubos brancos para recepção de doze pinturas que representam quatro continentes: África, America, Ásia e Europa.

Como ocorre com as pinturas que estão na exposição que refletem sobre identidade, cidade, transitoriedade e globalização, acreditamos que a Trackers e o local onde está situada possuem essa mesma conotação. Alem de ser um local popular o que, certamente, facilitará a visitação.

Aos poucos a construção vai tomando ares de espaço expositivo…

Sobre o processo de criação

A série “Afro Retratos” começou como uma experimentação e aos poucos, fui descobrindo os caminhos que queria seguir. Estas descobertas se deram por meio das pinceladas diferenciadas, com diversos pinceis; das observações de trabalhos de outros artistas cujas as produções admiro, como as de Gustav Klimt (1862 – 1918), pintor austríaco que abusava das formas delicadas, entretanto, saturadas de informações; autorretratos fotográficos em preto e branco que serviram de base para as pinturas; lantejoulas, glitter, flores artificiais etc.

A idéia era ter a pintura como base e a partir dela experimentar e mesclar outras técnicas, sempre bidimensionais.

Eu aprecio muito cor e contraste, assim como encontramos nas regiões populosas e centrais como o local onde as pinturas serão expostas. Gostaria que cada pessoa observasse as pinturas com atenção a estas pequenos detalhes que me encantam e me estimulam.

A TrackerTower, situada no Centro da Cidade de São Paulo, é a parceira da Cubo Preto na realização da exposição da série de pinturas Afro Retratos, da artista Renata Felinto, que ocorrerá entre 31 de julho e 18 de agosto de 2012.
Ocupando um grande prédio ao lado da Galeria Olido e inaugurada em  2006 como um educandário dedicado à formação de produtores de música a partir de softwares livres e de código aberto, foi idealizada por Rubens Peterlongo e Niki Nixon.

Além de ser uma escola de audiovisual, a Trackers promove outros eventos ligados à música e arte pelo centro de São Paulo, como a referida exposição.

Acompanhe a reforma do primeiro andar para a recepção da exposição e todas as demais transformações que virão adiante.
Acesse o site da Trackers aqui.
Veja abaixo onde está localizada a TrackerTower.
Rua Dom José de Barros, 337 – Centro, São Paulo – SP

Seja bem-vindo!

Este diário-de-bordo foi criado para registrar as etapas da montagem da exposição da série Afro Retratos, que será realizada em 2012 na cidade de São Paulo.

Além da série de pinturas, da artista plástica Renata Felinto, haverá o workshop sob o tema “A presença da mulher negra e afrodescendente como protagonista da cena artística contemporânea”.

Em breve, mais novidades sobre o processo, até mais!